O precipício de crescer


Eu, e a generalidade de todos nós, quando era criança sonhava todos os dias em ter 18 anos. Achava que essa idade me traria a liberdade, a independência, a definição de pessoa adulta. Os dezoito não me trouxeram nada disso. Já era um pássaro livre e muito senhora de si. Os dezoito trouxeram uma reviravolta da minha personalidade que, até hoje com 23 anos, ainda não terminou.

Há quem diga que mudamos muito até aos 25, que só depois deles conseguimos afirmar convictamente aquilo que somos e acima de tudo entender-mo-nos a nós próprio. Não
é que eu sinta que não me entenda, o que me perturba mais é a maneira como passei a ver o mundo e a relação com os outros.

Sempre fui a miúda mais racional, que muitos apelidavam de frieza mas, garanto-vos, não é a mesma coisa - um dia falo-vos sobre isso. Ao longo destes quatro anos a racionalidade foi a minha melhor aliada, porque a minha maneira de olhar para o mundo mudou de tal forma que ainda hoje, se me distraio, a ferida abre.

A idade trouxe o fim dos dramas, que nunca foram muitos, que me faz atravessar neste momento uma fase libertadora e extremamente clara sobre mim mesma. As pessoas para caminharem ao nosso lado, efectivamente, têm de ser seleccionadas. Somos nós que escolhemos quem caminha ao nosso lado e é nesta fase que determinamos quem nos pode acompanhar para a vida.

Mudei tanto, que as vezes sinto que sou outra pessoa.
Para terem mais ou menos uma noção do que me refiro, por exemplo, eu era católica, era uma pessoa que frequentava a igreja, e perceber a hipocrisia toda que há ali, o negócio, as mentiram, a lavagem cerebral e todo o não sentido daquilo, foi o primeiro indicio que eu estava a conhecer um novo mundo e a cima de tudo a tornar-me uma nova pessoa.
Não fazia a mínima ideia do quanto cuspimos no planeta onde vivemos - O AQUECIMENTO GLOBAL EXISTE! - e o quanto somos impotentes à tentativa de o salvar. Porquê? Porque há cientistas pagos para dizerem que ele não existe porque, lutar por ele era mudar a industria mundial, era a perca de milhões de euros para as grandes massas mundiais, era abrir milhões de mentes que têm mais que fazer do que se preocupar com isto.
Não imaginava quão fácil era lutar pela igualdade, quão fácil é garantir a sobrevivência daqueles que vivem no chamado terceiro mundo.  Só que esta facilidade é bloqueada pela cobardia daqueles que não querem saber e dos que têm mais  a ganhar com a morte de milhares de pessoas que morrem à fome ou fogem da guerra.
Desconhecia o que era a área 51. Como funciona o Pentágono. O que se passa na Deep Web. O quão ignorantes somos. Quem realmente manda em nós e o porquê de sermos tão cegos.

O choque é profundo, a dor tem picos, há um misto de sentimentos, há o orgulho pela pessoa que estou a criar e a revolta ao perceber o mundo em que vivo.

Comentários

  1. A nossa vida é, de facto, carregada de imensas mudanças. E muitas delas interiores. A forma como olhamos o mundo altera-se, porque começamos a alargar os nossos horizontes e a questionar-nos acerca das coisas. Aquilo que tantas vezes nos parecia uma verdade absoluta deixa de o ser, porque as nossas próprias vivências nos mostram isso mesmo. Acho que há medida que vamos crescendo, vamos ganhando outro cuidado na análise dos factos. E aprendemos a aceitar-nos. E a aceitar que nem tudo é como imaginamos.

    r: É isso mesmo!

    ResponderEliminar
  2. A nossa vida está em constante mudança e isso leva-nos a ter novas maneiras de pensar e de ver o mundo

    ResponderEliminar
  3. r: Muito obrigada pelas palavras de conforto querida, beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  4. Sim, pelo menos ao nível da hidratação :D

    Eu acho que, por muito que custe, devemos ser aptos à mudança!!

    NEW TIPS POST | GADGETS that will change our Beauty Routine.
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  5. As coisas nunca acontecem por acaso...e seria um pouco redundante chamar de cobarde alguém que não esteja preocupado com o futuro do terceiro mundo. Primeiro porque cada um de nós tem os seus próprios problemas e as suas próprias prioridades na vida e depois...seria demasiado egoísmo da nossa parte sabermos que cada esforço aplicado no sentido de ajudar alguém do terceiro mundo, não se transforme, no futuro, num esforço equivalente no sentido de condenar a nossa própria sobrevivência? ou de um filho? de um neto? ou outro familiar nosso?
    A população mundial está a crescer a um ritmo alarmante e o planeta, apesar de enorme, atingirá forçosamente um dia o seu ponto de ruptura, logo...seja qual for o futuro reservado ao homem, o cenário será sempre dramático.

    Sim nós crescemos, e sim nós acabamos por mudar substancialmente a nossa maneira de ser com o passar dos anos. Sobretudo quando nos vemos confrontados com esse tipo de questões e somos impotentes no sentido de encontrar soluções que sejam boas e humanas...

    ResponderEliminar
  6. Quando somos crianças, queremos ser adultos. Quando somos adultos, queremos voltar a ser crianças e a voltar a ter a inocência que tinhamos... Enfim, temos de nos adaptar às mudanças.

    ResponderEliminar
  7. Eu ainda não cheguei aos 25, mas entendi este texto tão bem!
    Estas questões são bem reais sim, e assustam!

    ResponderEliminar
  8. quem me dera ainda ser pequenina e não ter de me preocupar com os problemas das pessoas grandes. acho que temos muito medo das mudanças e por isso é que nos custa tanto aceita-las...

    ResponderEliminar
  9. A vida é assim mesmo e viver melhor saber viver ... não tem tarefa facilidade!
    Gosto da partilha ... Bj

    ResponderEliminar
  10. Concordo com tudo! Por um lado, era tão bom voltarmos àquela inocência de quando éramos crianças...
    Beijinho*
    The best of me

    ResponderEliminar
  11. Viver nunca foi fácil! Mas qual a piada de viver na monotonia? Um beijo :)
    r:Obrigada por teres passado no blog. Espero voltar a ler-te em breve

    ResponderEliminar
  12. É incrível quando o véu da ilusão cai e a gente acaba enxergando as coisas pelas quais nos escondem, né! Já viu o filme "They Live" de 1988? Recomendo muito!

    Com amor, <3 bruna-morgan.blogspot.com <3

    ResponderEliminar
  13. Pois é Inês. Mudarmos a forma de pensar e ver o mundo faz parte do crescimento. Passei por essa fase, a mesma que os meus filhos, ele da tua idade, ela um pouco mais nova, estão na mesma fase que tu, a tal que eu passei e que muitos de nós passamos: ver o mundo com outros olhos. E essa de descobrir que, ser católico, não é aquilo que pensávamos ser, é lixado mesmo. Espero que as tuas descobertas não te levem ao desânimo mas que saibas crescer vivendo de uma outra forma, com outros ideais. Eu que agora já passei os 50, já penso de forma diferente. Faz parte do processo de amadurecimento. beijinho

    ResponderEliminar
  14. Identifiquei me muito... as mudanças por vezes fazem bem que acho que é o caso.

    ResponderEliminar
  15. Crescer não é fácil, mas em determinadas situações é essencial e é bom.
    Eu nunca tive pressa de ter 18 anos, nada mudou pra mim na época haha.
    Hoje com 26 ainda me sinto perdida em muitas coisas, mudei alguns pontos de vista, melhorei, mas minha essência é a mesma e continuo gostando das mesmas coisas, o que sinto orgulho :)

    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  16. Crescer é das coisas mais difíceis da vida mas, ao mesmo tempo, é uma sensação tão boa e inexplicável :)
    http://bloguedacatia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  17. quando nao tinha 18, queria que chegassem rapido, agora que já passei, so quero é que eles voltem e saber o que sei hoje.

    ResponderEliminar
  18. Aos 20 anos, identifico-me bastante com aquilo que escreveste. Mas se te orgulhas da pessoa que estás a construir, isso é que importa, bem como o conjunto de tropeções que vais dando e de coisas boas que vais juntando pelo caminho! ;)


    Estranha Forma de Ser Jornalista
    http://estranhaformadeserjornalista.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  19. Eu nunca quis crescer, acho que de uma forma ou outra percebia que não ia trazer nada de novo. Mas percebo o que queres dizer, eu também mudei muito, embora ainda esteja um pouco perdida xD
    Obrigada pelo comentário!

    http://purflefox.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  20. Crescer faz parte e com ele a consciência severa de tudo o que idealizámos é mais dificíl mas não impossível. Força :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares