Gostaria de não ter coração - que outra pessoa qualquer, que gostasse de mim o tivesse.




Tenho o meu amor, como toda a gente, mas não o usei. Tenho também a minha história, mas não a contei. O romance que escrevi, escrevi-o para quem não quer saber dos amores ou das histórias de ninguém. Não contei nem inventei nada. Não usei nem pessoas nem personagens. Fugi. Quis mostrar que pertencia ao mundo onde o amor, como as histórias e os romances, existem só por si. Como se me dirigisse a alguém. Outra vez.

Miguel Esteves Cardoso, O Amor é Fodido

6 comentários:

  1. r: esse foi o primeiro sitio onde fui procurar, mas ele não, nunca foi muito ligado às redes sociais. :(

    ResponderEliminar
  2. r: Tínhamos poucos, alguns nunca ficamos mesmo amigos e portanto não fiquei com contacto. A única pessoa com quem tive mais proximidade foi com um que é meu ex-namorado e que com o tempo também lhe perdi o rasto! :/

    ResponderEliminar
  3. é, fica com o seu lado especial :)

    ResponderEliminar
  4. R: não penses assim, os sonhos são sempre alcançáveis, basta sermos fortes e persistente e tudo se consegue.

    ResponderEliminar