Déjà vu V - Atocha




O comboio partiu há instantes. O relógio marcava as 06:18, a estação estava praticamente vazia e o frio estalava-me os ossos. Desta vez nem o sol veio para te ver partir. 
Foi doloroso e tranquilizador ao mesmo tempo, levavas contigo os meus segredos, os meus medos, as minhas dúvidas, o meu amor, levavas tudo o que me completava, cheguei mesmo a ficar vazia. Mas por outro lado, tive em mim a certeza que contigo também levarias todo o sofrimento deste amor desleal e só assim poderia seguir em frente, só assim poderia voltar a reconstruir-me, só assim poderia voltar a ser eu. Foi o último comboio que vi partir, foi a última vez que me senti vazia, nunca uma despedida foi tão ansiada, nunca um adeus foi tão aliviante.

Boa viagem, espero que estejas bem, e não te preocupes comigo, eu já apanhei o metro.



3 comentários:

  1. Esperemos que essa viagem não se repita indefinidamente...

    ResponderEliminar
  2. Encontras sempre as palavras certas, os momentos certos para escreveres o que sentes, sim, porque apesar dos textos poderem ser fantasias, espelham o que queremos, o que ambicionamos.
    Como sempre supreendo-me com o que aqui leio, com esta tua forma peculiar de falar com o coração.

    Um Beijinho e se poderes ajudar no concurso que tenho exposto no meu blog agradeço mesmo muito :)

    ResponderEliminar