Troca de papeis




No dia em que vires alguém sofrer e preferires estar no seu lugar, sorri, tu amas essa pessoa verdadeiramente.


O que causa dor não é o amor, é a falta dele.


Há quem diga que o amor é cego.
Há quem diga que o amor não tem cor.
Há quem diga que o amor não tem idade.
Há quem diga que o amor não se explica.
Há quem diga que o amor é só imaginação.
Há quem diga que se ama só uma vez na vida.
Há quem diga que o amor vem de dentro para fora.
Há quem diga que o amor rouba a capacidade de pensar.
Há quem diga que diga que o amor vem e vai durante toda a vida.
Há quem diga que o amor tem razões que a própria razão desconhece.


Mas será que esta gente não se cala? Eu não quero saber como é o amor, eu apenas quero senti-lo!


Déjà vu V - Atocha




O comboio partiu há instantes. O relógio marcava as 06:18, a estação estava praticamente vazia e o frio estalava-me os ossos. Desta vez nem o sol veio para te ver partir. 
Foi doloroso e tranquilizador ao mesmo tempo, levavas contigo os meus segredos, os meus medos, as minhas dúvidas, o meu amor, levavas tudo o que me completava, cheguei mesmo a ficar vazia. Mas por outro lado, tive em mim a certeza que contigo também levarias todo o sofrimento deste amor desleal e só assim poderia seguir em frente, só assim poderia voltar a reconstruir-me, só assim poderia voltar a ser eu. Foi o último comboio que vi partir, foi a última vez que me senti vazia, nunca uma despedida foi tão ansiada, nunca um adeus foi tão aliviante.

Boa viagem, espero que estejas bem, e não te preocupes comigo, eu já apanhei o metro.